O estoque é o coração do varejo, principalmente no caso de supermercados, padarias e mercearias que trabalham com uma grande quantidade de itens e com produtos perecíveis. Por isso, vale a pena investir tempo e esforço para controlar essa área da sua loja.

Para ajudar em um controle mais eficaz do seu estoque, a tecnologia é uma grande aliada, mas, sozinha, não resolve o problema. Processos operacionais são, portanto, fundamentais, uma vez que a gestão de estoque no varejo é muito vulnerável a eventos do dia a dia.

Já parou para pensar quanta dor de cabeça é gerada pela falta de controle do estoque? Para começar, onde está a origem do problema? Quais são as maiores causas desse problema que tira o sono do varejista?

Listamos 10 causas de problemas no seu controle de estoque:

1 – Comprar mais que o necessário

A compra em excesso traz risco de vencimento da validade dos produtos, necessidade de mais espaço para armazenamento, dificulta a realização de inventário, além de paralisar o capital de giro. Por isso, é necessário saber comprar o suficiente para atender a demanda da sua loja.

2 – Falta de inventários periódicos

Sem a conferência periódica, perde-se a chance de encontrar possíveis falhas operacionais. Não há como deixar de verificar as divergências entre o estoque no sistema e a quantidade presente no estoque físico da sua loja.

O inventário é o principal aliado do varejista na hora de encontrar problemas no estoque. Clique aqui e saiba mais sobre inventários rotativos e como eles podem ajudar o seu supermercado. 

3 – Falha na segurança

A falta de controle no acesso de pessoas no depósito e ausência de monitoramento por meio de câmeras, pode facilitar o furto de mercadorias, que geram rupturas.

4 – Mau armazenamento

Manter produtos a altas temperaturas ou a ambientes de muita umidade pode levar a perdas.

As perdas podem representar um grande problema para o varejista, e o mau armazenamento é um dos principais motivos de perda dentro de uma loja.

Por isso, se seu supermercado não controla as perdas, esses produtos não estarão disponíveis no seu estoque físico, mas estarão no estoque virtual, o estoque do seu software de gestão. 

5 – Não registrar todas as movimentações

Deixar de registrar todas as saídas ou entradas gera inconsistência no controle do estoque, faro que gerar consequências negativas à loja, como comprar de maneira desnecessária ou ainda causar rupturas no estoque.

Nessa linha, a gestão de estoque é baseada em processos operacionais sistemáticos, isto é, depende de processos que devem ser realizados com disciplina e consistência pelos funcionários da loja, além do apoio de um bom software de gestão. 

O estoque é o resultado de movimentações, seja de saída ou de entrada, portanto, deixar de registrar essas movimentações acarretará em uma falha nessa área e, consequentemente, em prejuízos para o seu negócio. 

6 – Utilização de “cadastro genérico”

Ao utilizar um cadastro genérico todo seu controle de estoque estará comprometido, uma vez que a mercadoria que está sendo vendida não sofrerá baixa no sistema.

7 – Fator de conversão incorreto

Caso um produto seja registrado com fator de conversão incorreto, prejudicará diretamente seu estoque. Imagine um fardo com 6 unidades ser registrado com fator de 12 unidades! Se for uma entrada, dobrará a quantidade lançada do produto, se for na saída baixará o estoque em dobro. 

A dica para evitar essa causa é ter um bom processo de recebimento de mercadoria, com conferências antecipadas, por exemplo, e, além disso, contar com um bom software de gestão para apoiar todos os processos. 

8 – Cadastrar produtos sem detalhar sua descrição.

Cadastrar um produto com uma descrição incompleta dificulta sua busca e consulta. Caso não haja o código do item para fazer a movimentação, corre-se o risco de não lançar o item correto e gerar uma baixa para outro produto. Neste caso, o código EAN é um importante aliado do varejista no momento de padronizar o cadastro de produtos, ele contribui para a resolução de possíveis problemas tanto com a fiscalização quanto com a emissão de notas. 

9 – Não realizar conferências nas entradas

Não conferir a entrada da mercadoria é um grande erro, uma vez que o fornecedor pode ter enviado produtos e/ou quantidades e/ou preços diferentes do pedido efetuado. Além disso, a conferência no ato do recebimento certifica que a quantidade constante na nota fiscal é a mesma recebida pelo conferente a dar entrada no estoque. Então, além de evitar fraudes, o controle de estoque ficará correto. 

A solução para acabar com esse problema é implementar processos de conferência no recebimento, conforme descrito no item 7.

10 – Vinculações incorretas

Ocorre muito em produtos de produção, nos quais a mudança da receita dos produtos não é informada no sistema. Dessa forma, o antigo produto continua sendo baixado, enquanto outro está sendo utilizado na produção e, consequentemente, sem baixa no estoque. 

Fonte: https://www.infovarejo.com.br/10-causas-de-problemas-no-seu-estoque/


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *